Pif Paf Alimentos deve começar a exportar carne de frango para a China em outubro

A empresa Pif Paf Alimentos, com sede em Belo Horizonte, foi habilitada para exportar carne de frango para a China. A unidade frigorífica da Pif Paf localizada em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata, foi vistoriada em 2012 e a partir de outubro deve iniciar os embarques para o país asiático. A estimativa inicial é exportar cerca de 15 mil toneladas de carne de frango ao ano. A habilitação é vista como um importante avanço para o crescimento da empresa, que pretende em cinco anos duplicar o faturamento chegando a cerca de R$ 4 bilhões ao ano.

O anúncio da habilitação da Pif Paf ocorreu na última segunda feira. De acordo com os dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), ao todo, foram consideradas aptas a embarcarem carne para a China 25 plantas frigoríficas distribuídas no País, sendo mineira, somente a Pif Paf. Com essas novas habilitações, o número de plantas nacionais habilitadas passa de 64 para 89. Dos novos estabelecimentos credenciados, 17 são produtores de carne bovina, seis de frango, um de porco e um de asinino.

De acordo com o gerente-geral de relações institucionais da Pif Paf, Claudio Almeida Faria, a habilitação é uma grande conquista pelo mercado chinês ainda ser muito restrito e pela oportunidade de negócios, já que a região é responsável pelo maior consumo de proteína animal do mundo.

“Estamos comemorando por ter obtido êxito nessa habilitação que era tão esperada. A China não é muito aberta para mercados e habilitações, é um mercado ainda com muitas restrições de concorrência. O país é o maior mercado tanto consumidor como importador do mundo, então, é uma porta gigante que se abre para termos acesso a esse importante mercado”.

As expectativas são positivas em relação aos embarques para a China como para outros países asiáticos. Faria explica que existe uma tendência de aumento do consumo de proteína animal na Ásia, sendo a China o principal país em função do número de habitantes.

“À medida que os países asiáticos estão tendo acesso ao consumo de mais proteína, isso gera um impacto global em todo o mercado. Isso, porque dois terços da população mundial está no continente asiático, principalmente no leste. Trabalhar ali é trabalhar com um potencial de dois terços do consumo mundial”.

Outro ponto que é favorável para os embarques da empresa são os casos de Peste Suína Africana (PSA) registrados no plantel chinês. A doença fez com que cerca de 30% do rebanho fosse eliminado. Como a China produz cerca de 50% da carne suína do mundo e tem o maior consumo, a demanda pela proteína animal vindas de outros países tende a crescer.

Faria explica que, em missão à China, em maio, os chineses já estavam muito cautelosos em relação à situação provocada pela PSA. Eles tiveram que abater grande parte do plantel.

“A carne mais consumida pelos chineses é a de suíno e com a redução da oferta, as proteínas alternativas terão grande demanda para substituição. Com a redução do plantel chinês, o impacto é de uma perda próxima a 15% na produção global de suínos e com essa perda, a carne de frango já passa a ser a mais consumida no mundo, ultrapassando a de suíno”, disse.

Primeiros embarques – Pioneira na exportação de carne de frango para o mundo, a Pif Paf, pretende iniciar os embarques para a China já no próximo mês. A expectativa é embarcar em torno de 15 mil toneladas ao ano.

“A planta de Visconde de Rio Branco tem um potencial de exportar até 15 mil toneladas de frango ao ano. Mas, tudo depende de mercado e de mix de produção. A Pif Paf, que é uma empresa tradicional, atende e pretende continuar a atender o mercado interno, que é a prioridade”.

Ainda segundo Faria, a conquista da habilitação para exportar para a China, assim como as habilitações também conquistadas neste ano para comercializar com o Canadá e México, são importantes avanços para o crescimento da empresa, que pretende em cinco anos duplicar o faturamento, passando de cerca de R$ 2 bilhões em 2018 para R$ 4 bilhões em 2024.

Expectativa é ter receita 10% maior

Em 2019, a expectativa da Pif Paf é crescer 10% em faturamento, que será conquistado com a abertura de novos mercados e lançamento de produtos, principalmente os de fácil preparo e maior valor agregado.

“O êxito de conquistar a habilitação chinesa, que vai contribuir para o nosso crescimento, é resultado do trabalho dos cerca de 8 mil funcionários da Pif Paf. Foi um trabalho amplo, envolvendo a produção, os processos e os programas de qualidade”, diz o gerente geral de relações institucionais da Pif Paf, Claudio Almeida Faria.

Maior indústria frigorífica de Minas Gerais, a Pif Paf atua nas cadeias de aves e suínos. A empresa possui 10 unidades industriais, voltadas para a produção, abate e processamento de 73 milhões de frangos e mais de 520 mil suínos por ano.

O mix é formado por mais de 400 itens, entre carnes, pescados, embutidos, massas, pratos prontos, pães de queijo, salgados e outros. A empresa emprega, diretamente, cerca de 7,5 mil pessoas e possui 90 mil clientes. Os produtos são exportados para mais de 20 países, com destaque para Japão, Canadá, Hong Kong, Singapura, Rússia e Argentina.

Source: http://www.diariodocomercio.com.br/rss.xml

Loading...