Inteligência de marketing com agilidade e qualidade

Grandes empresas e startups se beneficiam mutuamente da relação de colaboração e trabalho (Foto: Getty Images)

 

Esqueça a pesquisa de mercado feita por um entrevistador questionando anônimos na calçada de uma grande avenida. Esse formato, ainda existente, vem perdendo espaço para iniciativas que fazem uso de recursos mais tecnológicos. Um exemplo é a MindMiners, uma das startups parceiras de Nestlé.

Com foco em soluções digitais de pesquisa, a empresa atua em duas frentes: a plataforma Miners Compass, que oferece aos clientes empresariais inteligência de marketing com agilidade, transparência e qualidade, e a base de respondentes MeSeems, uma rede social de compartilhamento de opiniões e experiências com mais de 80 mil usuários cadastrados no Brasil prontos para responder pesquisas.

"Nossa grande diferença é que já nascemos digitais. Enquanto outras empresas de pesquisa ainda estão digitalizando seus processos, nós desenvolvemos um aplicativo capaz de realizar pesquisas em poucos dias com mais transparência e perfil bem segmentado", explica Lucas Momm de Melo, cofundador da MindMiners.

O atrativo para o usuário avaliar marcas, produtos ou serviços usando apenas seu smartphone está no ganho de pontos que são convertidos em prêmios. Além disso, quem participa do MeSeems passa a integrar comunidades de interesses comuns, por onde recebem desafios como ir a um ponto de vendas e fotografar os produtos expostos – formando uma base de consumidores ativa e qualificada.

"A Nestlé queria chegar direto aos seus clientes. Mulheres consumidoras de cereal matinal Nesfit, por exemplo. Mas nem sempre é fácil pela pesquisa tradicional, por isso acabou se interessando pelo nosso negócio", afirma Lucas, reiterando que a agilidade e qualidade dos dados entregues foram vitais para chamar a atenção da gigante do setor de alimentos.

De acordo com ele, o contato firmado com a Nestlé a partir de 2015 foi importantíssimo para o crescimento da MindMiners, recentemente apontada pelo LinkedIn como uma das 25 startups mais desejadas do Brasil.

"Quando começamos a desenvolver projetos para a Nestlé não estávamos consolidados no mercado. E eles foram aos poucos nos moldando, mostrado como uma startup de pesquisa poderia ser atraente para outras empresas. No começo representavam 30% do nosso faturamento – e apesar de hoje responderem a apenas 5%, são considerados nosso cliente mãe", diz o co-fundador.

José Pereira Júnior, head de inovação e novos modelos de negócios da Nestlé, diz que a startup mudou a maneira como a empresa conversa e aprende com o cliente para entender melhor seus hábitos de consumo.

"Quando começamos a trabalhar com eles passamos por um período de testes. Era uma startup pequena com uma proposta experimental e hoje é um grande parceiro nosso. Construímos esse conhecimento juntos", recorda ele, lembrando que antes eram gastos muito tempo e dinheiro com as pesquisas de mercado realizadas pela Nestlé.

"Os times de Inovação e de Pesquisa de Mercado da Nestlé se uniram para trazer alternativas para o modelo tradicional utilizado, ou seja, ainda fazíamos pesquisas num ambiente frio, que demanda recrutamento, pensar roteiros, escutar as entrevistar, transcrevê-las, fazer análises… Com a MindMiners eu subo o desafio, um questionário para uma rede que eles já têm, cadastradas no APP deles, e em 48 horas já tenho as primeiras respostas dessa pesquisa".

Questionado sobre o choque de culturas entre uma empresa centenária e uma startup com apenas cinco anos de existência, Lucas, cofundador da MindMiners, se revela surpreendido pela postura da Nestlé. "Hoje atendemos outras multinacionais e a Nestlé é bem para frente em termos de mindset, de como provocar os parceiros e fazê-los pensar fora da caixa".

Source: http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/Rss/0,,DMI0-16419,00.xml

Loading...