Galpões pela cidade abrigam festas, shows e eventos

A abertura, amanhã, do galpão Portal, no Boulevard Olímpico, vem reforçar uma tendência que se consolidou na Zona Portuária: a dos antigos armazéns que hoje funcionam como espaços múltiplos, abrigando festas, shows, feiras e espetáculos de dança e teatro, entre outras ocupações artísticas. Além do estreante — que será inaugurado com uma edição especial de oito anos da Me Gusta, com 12 horas de música eletrônica —, funcionam ali o Galpão Gamboa, o ArtRua e o HUB RJ. Todos com eventos neste fim de semana.

Siga nossa página no Instagram: @rioshowoglobo

— Um dos maiores legados da Olimpíada, a revitalização da Zona Portuária tem como grande mérito a transformação de uma área degrada num polo de referência em lazer. Quando chegamos aqui, há dez anos, era um canteiro de obras. Hoje, o VLT para na porta — destaca o ator Marco Nanini, sócio do Gamboa junto com Fernando Libonati.

DJs, produtores e frequentadores também comemoram.

— São espaços que ficaram abandonados por décadas. Hoje, quem estiver sem programa no fim de semana pode pegar um táxi rumo à Gamboa que encontrará alguma pista fervendo — diz o DJ Gustavo Tata, que já tocou em festas por ali.

programaçao 7/12O DJ e produtor Edu Castelo diz que não é difícil entender o movimento.

— É muito por causa do preço do aluguel, bem mais em conta em relação a espaços como Circo Voador, que se tornaram inviáveis para produções menores e alternativas. Aqui, tem dia com cinco programações diferentes ao mesmo tempo, das 10h até a madrugada.

Fora da Zona Portuária, são raros os espaço com este espírito. No Cosme Velho, um bravo representante é o Galpão Ladeira das Artes. Mas lá o clima é um pouco diferente. Tem mais cara de ponto de encontro cultural do que de pista de dança, com exposições, produtores de moda, tatuadores e toda a sorte de coletivos.

Portal

Com pé-direito de seis metros, mil metros quadrados de área e paredes de tijolos aparentes, o espaço, que fica em frente ao Armazém 2 do Píer Mauá, tem capacidade para mil pessoas. Por enquanto, só o primeiro dos três andares está aberto.

— No futuro, receberemos exposições e espetáculos nos outros andares — informa o dono, Roberto Kreimer, acrescentando que gastou R$ 1 milhão na reforma e que o aluguel custará, em média, R$ 15 mil.

— Estávamos em busca de um galpãozão que tivesse aspecto underground, até que encontramos este — conta o produtor Fernando Deperon, do selo Me Gusta, que promove amanhã a festa com 12 horas de house e vertentes como deep house e tech house, com diversos DJs, entre eles o inglês James Zabiela, o alemão Andrea Henneberg e os cariocas Marky, Magri, Pinaud, Tokker e Beranger.

Av. Rodrigues Alves 139, Boulevard Olímpico — 98800-9669. Sáb, às 20h. R$ 70. O VLT (até 23h50m) para na porta (Parada dos Museus). Não recomendado para menores de 18 anos.

Galpão Gamboa

80094820_RS EXCLUSIVO Rio de Janeiro RJ 29-11-2018 Galpoes - Galpao Gamboa de Marco Nanini e Fer.jpgHá dez anos, o imóvel comprado pelo ator Marco Nanini e seu sócio, o produtor Fernando Libonati, abriu as portas para receber ensaios de peças, exposições, espetáculos de dança e festas.

— A gente chegou aqui procurando apenas uma sala para ensaio. Passado algum tempo, resolvemos montar uma programação cultural para nos aproximar da vizinhança, era preciso interagir com os moradores. Hoje temos até aula de artes marciais — detalha o ator.

Quem mora na área tem desconto nos eventos ou até entrada gratuita. Amanhã é dia de teatro na casa, com a reestreia de “Galáxias I: todo esse céu é um deserto de corações pulverizados”, com direção de Luiz Felipe Reis e texto do argentino J.P. Zooey.

Hoje, a festa Moo faz sua estreia ali ocupando o salão ao lado do teatro, o lounge e a varanda do segundo andar. A edição é comemorativa pelos 14 anos da noite comandada por Diogo Reis e Badenov.

— O Gamboa tem esta cara de clubão dos anos 1990, uma caixa preta — destaca Diogo Reis, que convidou três atrações argentinas: as duplas de DJs Pareja e Carisma e o DJ Tom Tom Clubber.

— São representantes de uma onda de dance music e techno latino — diz Reis.

Rua da Gamboa 279, Gamboa — 2516-5929. MOO: sex, às 23h. R$ 50. Não recomendado para menores de 18 anos. “Galáxias I: Todo esse céu é um deserto de corações pulverizados”: sáb a ter, às 20h. R$ 40. Não recomendado para menores de 16 anos.

ArtRua

61823024_RI Rio de janeiro RJ 27-09-2016 Projeto Art rua complemento da Arte urbana GalpãO na rua P.jpgQuando alugaram o galpão de cinco mil metros quadrados no Santo Cristo, os integrantes do coletivo Vizionartz nem sabiam direito o que iam fazer.

— Primeiro pintamos tudo, fachada e interior, para só depois pensar na ocupação — explica o francês Joa Azria, do Vizionartz.

Isso foi em 2016, e o galpão foi aberto pela primeira vez para receber a feira de arte urbana ArtRua, paralela ao ArtRio. Acabou herdando o nome do evento. Hoje, funcionam ali 20 ateliês fixos, e há uma agenda intensa de encontros de arte urbana, projetos focados em economia criativa, festas e ensaios de blocos de carnaval.

Amanhã, o imóvel recebe a quarta edição do festival Jazz We Can, em parceria com os selos British Underground e Jazz Re:freshed. Entre as atrações, os britânicos Kokoroko e Project Karnak e os cariocas do Afrojazz, junto com o rapper Black Alien. Participam ainda o coletivo franco-carioca Bagunço e o DJ Gustavo.

Av. Professor Pereira Reis 76, Santo Cristo — 98846-9598. Sáb, das 20h às 5h. R$ 40. Se for de VLT, desça na Estação Praia Formosa, a última antes da Rodoviária. Não recomendado para menores de 18 anos.

HUB RJ

78396733_RIO - FESTAS NA ZONA PORTUÁRIA Nas Internas no Hub RJ.jpgCom 7.400 metros quadrados, é tão grande que alguns frequentadores o chamam de “o galpão dos galpões”. Aberto ano passado ao lado do ArtRua, funciona, durante o dia, como uma incubadora de oito empresas de coworking nas áreas de comunicação, publicidade, análise de mídias sociais, escola de DJs e agência de modelo. Tudo em boxes ou contêineres.

— Somos associados à Impact HUB, uma agência mundial de impacto social que deve ampliar sua atuação no Rio a partir de março, com programas de capacitação e responsabilidade social — diz Bruno Souza, um dos responsáveis pelo imóvel.

Os eventos abertos ao público acontecem numa área onde cabem até quatro mil pessoas. Já passaram por ali atrações como as bandas americanas Cypress Hill (hip-hop) e Sublime (ska, punk e reggae), o ColaborAmerica (evento internacional de economia colaborativa), e festas como Du Black, Nas Internas e Puf Puf.

A próxima noitada será amanhã com o show do CandyBloco, que faz um aquecimento para a folia de 2019 com versões carnavalizadas de sucessos de nomes da música pop, como Madonna, Anitta e Pabllo Vittar, além de lançar seu primeiro single, “Pra causar”. Nos intervalos, DJs Gui Serrano e Bruna Strait.

Av. Professor Pereira Reis 50, Santo Cristo — 97173-1502. Sáb, às 20h. R$ 20. A estação do VLT é a da Praia Formosa, a mesma do ArtRua. Não recomendado para menores de 18 anos.

Utopia

80164788_rs - galpões armazém da utopia Companhia Ensaio Aberto E segue imagem que usaremos pa.jpgEm 2010, o Armazém da Utopia se transformou na casa da Companhia Ensaio Aberto. Diariamente, o público que passa por ali pode entrar e conferir leituras dramatizadas gratuitas, de obras como “A mandrágora”, de Nicolau Maquiavel, e “Luz nas trevas”, de Bertolt Brecht, ambas este mês.

O galpão de cinco mil metros quadrados é um espaço múltiplo e dinâmico que já sediou eventos culturais de grande porte como Festival do Rio, Rio H2K e Tudo é Jazz no Porto, além de festas como Baile da Favorita.

No dia 15, o galpão recebe a festa Plush, encabeçada pelo DJ galês Jamie Jones, da gravadora Hot Creations, que já tocou em festivais como Coachella.

Av. Rodrigues Alves 299, Boulevard Olímpico — 2516-4893. Leituras dramatizadas: dias 11 e 18, às 19h. Grátis. Livre. Festa Plush: dia 15, das 21h às 7h. R$ 120 (open bar). Não recomendado para menores de 18 anos.

Ladeira das Artes

80155012_RS Rio de Janeiro RJ 03-12-2018 - Galpoes Galpao Ladeira das Artes no Cosme Velho. Foto.jpgOcupado por três grupos (O Cerco, I Hate Flash e Café Preto Tattoo), o galpão Ladeira das Artes é o mais diurno da lista. Um centro cultural familiar, cercado de casas e que encerra as suas atividades às 22h. Em seus 300 metros quadrados cabem até 200 pessoas, e o lugar já abrigou festas, performances, shows, rodas de samba, feiras de moda, teatro, artesanato e cinema.

— Moramos na casa ao lado há 30 anos e isto aqui era um campinho. Meu filho sugeriu que montássemos um galpão para promover encontros, e o resultado é um sucesso —conta a dona, Socorro Nascimento, que cobra de R$ 1 a R$ 2 mil de aluguel por evento.

Esta semana entrou em cartaz a exposição “Casa de Maria”, com 31 fotos em P&B feitas no Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, pelo italiano Antonio Caroli e pela brasileira Luciana Bello. A dupla foi ao lixão desativado para registrar o dia a dia de Maria e seus cinco filhos, que moram numa casa de madeira.

Adeptos da política de boa vizinhança, uma vez por mês, Socorro e os filhos organizam o Cine Guararapes, com exibição de filmes para crianças da comunidade vizinha.

Rua Conselheiro Lampreia 225, Cosme Velho — 989580803. Seg a sáb, das 10h às 22h. Grátis. Livre.

Source: http://oglobo.globo.com/rss.xml?completo=true

Loading...