Em Aparecida, Alckmin diz que decisão do STF foi correta

alckmin.jpgAPARECIDA — O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) classificou nesta quinta-feira como acertada a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de considerar necessário o aval do Congresso para o afastamento de deputados e senadores de seus mandatos por ordem da Corte. A fala aconteceu em conversa com jornalistas após a celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no interior de São Paulo.

STF mandato

— Os Três Poderes são independentes e devem ser harmônicos. Acho que a decisão foi correta no sentido de se evitar uma crise institucional. Decisão do Supremo se respeita e se cumpre — afirmou o governador, que recebeu algumas vaias quando seu nome foi anunciado no início da cerimônia.

Ele também estava acompanhado dos ministros Gilberto Kassab e Antônio Imbassahy.

— Não ouvi vaia nenhuma — limitou-se a dizer, para em seguida falar que o repórter que fizera a pergunta sobre o ocorrido estava com problema de audição.

Católico e devoto declarado de Nossa Senhora, o governador disse que não mistura política e religião quando questionado se fez algum pedido especial para as eleições de 2018. Ele revelou que intercedeu por seu filho, Thomaz, morto em acidente de helicóptero há dois anos, pela família e pelos que estão doentes. Aproveitou sua ida à Basílica, no entanto, para assinar um documento que autoriza a secretaria de Habitação a iniciar obras de 62 casas populares na região, ao custo de R$ 6,5 milhões.

Alckmin também não deixou de comentar sobre a última pesquisa Datafolha. Nela, os eleitores preferem o tucano como o candidato à Presidência pelo PSDB em detrimento de seu apadrinhado político, o prefeito João Doria. Para 45%, ele é a melhor opção, enquanto 31% apontam Doria.

— Ela (a pesquisa) retrata o momento, o nível de conhecimento de hoje. Os argumentos da nova eleição, os temas, a atenção do eleitor só começam ano que vem. Acho que vai ser uma eleição com muita exigência por parte do eleitorado, de propostas, de projetos de retomada de emprego e da renda. A campanha só começa em 2018. As candidaturas não estão nem ainda definidas — declarou ele, para em seguida defender as prévias dentro do partido.

O prefeito não compareceu ao evento. Ele está em viagem para a Itália.

Durante a missa foi exibido de um telão mensagem do Papa Francisco aos fieis. Nela, o religioso disse que o brasileiro deve ter fé para superar as trevas e a corrupção. Geraldo Alckmin observou que a corrupção não é exclusiva do Brasil. Ao falar sobre a mensagem, ele recorreu a trecho de um poema de Olavo Bilac.

— Em cada homem e cada mulher há um demônio que ruge e um Deus que chora. O ser humano é imperfeito no mundo inteiro, não só no Brasil. O que não pode ter é impunidade. Temos que ter instituições sólidas e acho que estamos construindo essas boas instituições, fortalecendo a democracia — disse.

“SE EU FOSSE PRESIDENTE, TERIA VINDO”

Durante a coletiva de imprensa, o padre João Batista de Almeida, reitor do Santuário Nacional de Aparecida, foi questionado sobre a ausência de mais autoridades, como o presidente da República Michel Temer (PMDB). Ele justificou não ser tradição o santuário receber autoridades, mas reconheceu a importância da presença de mandatários no ano em que se completa o tricentenário da imagem da padroeira do Brasil.

— Se eu fosse presidente do Brasil, eu viria, mas de repente os assessores não se atentaram para isso — opinou o padre, arrancando risadas dos presentes.

Source: http://oglobo.globo.com/rss.xml?completo=true

Loading...