Chefe de grupo de matadores foi segurança da filha de Maninho

RIO – Acusado de ser um dos chefes da quadrilha de matadores conhecida como Escritório do Crime, o ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Adriano Magalhães da Nóbrega, de 42 anos, foi expulso da Polícia Militar por ligação com Shanna Harrouche Garcia, filha do bicheiro Waldemir Paes Garcia, o Maninho. Ela sofreu um atentado nessa terça-feira, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Adriano Magalhães da Nóbrega, ex-capitão do Bope Divulgação

Adriano foi acusado de ser segurança de Shanna e seu ex-marido, José Luiz de Barros Lopes, o Zé Personal, assassinado em setembro de 2011. O então capitão chegou a ser preso em dezembro de 2011, na operação Tempestade no Deserto, justamente por ligação com a contravenção. Ele foi acusado de envolvimento na tentativa de homicídio contra o pecuarista Rogério Mesquita, que passou a disputar com Shanna e Zé Personal o controle dos negócios de Maninho, assassinado em 2004.

LEIA:Nova guerra na família pode ter motivado ataque a tiros

Filha de Maninho narra, em áudios no WhatsApp, tentativa de abordagem de homens armados

Shanna e Zé Personal foram acusados de serem os mandantes do crime, que ocorreu em maio de 2008, e seus seguranças, entre eles Adriano, de terem feito os disparos contra Rogério. Ele sobreviveu ao ataque, mas acabou sendo morto mesee depois, em janeiro de 2009.

Durante audiências do caso na Justiça, testemunhas voltaram atrás e livraram Shanna e Adriano das acusações.

Nessa terça-feira, Shanna não estava acompanhada de seguranças. Ela foi baleada na barriga e no braço ao chegar sozinha em um centro comercial no Recreio dos Bandeirantes. A filha de Maninho foi levada para o Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e depois transferida para uma unidade particular.

Source: http://oglobo.globo.com/rss.xml?completo=true

Loading...