Administrador do Itapoã, no DF, muda pela segunda vez em menos de um ano


Servidor interino fica no cargo até nova nomeação, diz GDF. Deliomar Louzeiro ficou 4 meses no cargo. Deliomar Louzeiro faz pronunciamento como administrador regional do Itapoã
Administração do Itapoã/Facebook
O governador Ibaneis Rocha (MDB) exonerou o administrador regional do Itapoã, Deliomar Louzeiro, quatro meses após a nomeação. A medida foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal desta terça-feira (3).
Esta é a segunda troca de administrador na região em menos de um ano (relembre abaixo). O G1 questionou o GDF sobre a motivação da substituição, mas até a última atualização desta reportagem não obteve resposta.
Em nota, o Palácio do Buriti se limitou a afirmar que “as exonerações e nomeações das pastas, estão previstas em qualquer esfera administrativa de governo”. O GDF não informou quando deve divulgar um novo nome para assumir a função, enquanto isso, o posto será do interino Valdemar Araújo de Medeiros, chefe de gabinete da Administração Regional do Itapoã.
Breve gestão
Deliomar Louzeiro foi nomeado no dia 2 de agosto. Ele substituiu Alessander Carregari Capalbo, que tinha assumido o cargo em janeiro, logo após a posse do governador Ibaneis Rocha.
Louzeiro havia atuado como Conselheiro de Defesa do Meio Ambiente e de Cultura da região. Ele foi candidato a deputado distrital pelo PPS. Como líder comunitário, chegou a cobrar melhorias para o Itapoã, em visita ao então administrador Capalbo em maio (veja na foto abaixo).
Alexander Capalbo, então administrador do Itapoã, recebe Deliomar Louzeiro, como líder comunitário
Administração do Itapoã/Facebook
O G1 apurou que o Louzeiro ainda esteve na Administração na manhã desta terça. A reportagem tentou contato com ele, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.
Primeira demissão
Logo após a posse, Ibaneis indicou o ex-padre Alessander Carregari Capalbo para a Administração do Itapoã. Em 2016, ele já havia atuado no cargo durante o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB).
A demissão de Capalbo ocorreu em agosto, sem detalhes divulgados pelo GDF. Na época, Capalbo agradeceu a oportunidade nas rede sociais e demonstrou surpresa com a exoneração.
“No momento que foi oportuno eu pude colaborar (pensei que fosse em todo o seu governo, mas ele tem suas necessidades, que sem dúvidas são mais importantes que a pessoa do “Padre Alessander” com seu projeto político”, afirmou Capalbo na ocasião.
Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Source: http://g1.globo.com/dynamo/rss2.xml

Loading...